Escadas pressurizadas em prédios proporcionam mais segurança em caso de incêndio

Os edifícios residenciais e comerciais agora contam com escadas pressurizadas à prova de fumaça, para evitar a intoxicação em casos de incêndio. A  lei 12.393, de autoria de Felipe Braga Côrtes, foi aprovada e sancionada em 2007 e garantiu que, em caso de incêndio, seja proporcionada mais segurança tanto para os moradores e funcionários, quanto para os bombeiros.

Esse tipo de circulação vertical tem objetivo de manter o ambiente livre de fumaça, que é a principal causadora de intoxicação e morte durante um incêndio. Além disso, também permite que o Corpo de Bombeiros tenha melhores condições de combater o fogo.

O sistema de pressurização consiste em aplicar pressão positiva por meio de um exaustor no interior da escada através de dutos. Em caso de incêndio no edifício, o detector de fumaça, ou o acionamento manual pela portaria, ativa o exaustor, que começa a encher de ar as escadas, aumentando o nível de pressão.

“Com a diferença de pressão, a fumaça não penetra na circulação, assegurando a desocupação do local com segurança”, garante o vereador.

O parlamentar explicou que o espaço deve ser dotado de pelo menos dois ventiladores. Um para uso permanente e outro para funcionar automaticamente no caso de um incêndio, aumentando a pressão interna. “Dispensa antecâmara e portas corta-fogo, além de garantir melhor utilização da área útil e decréscimo de pontos de iluminação”, ressaltou.

Quando a fiscalização, o vereador apontou que ficará a cargo do Corpo de Bombeiros e será efetuada durante a execução e depois da obra concluída. “O projeto deverá seguir as determinações da ABNT, a Associação Brasileira de Normas Técnicas”, concluiu.