Reciclagem de resíduos da construção civil há 10 anos sendo trabalhada por Felipe. - Felipe Braga Côrtes

Reciclagem de resíduos da construção civil há 10 anos sendo trabalhada por Felipe.

Curitiba conta há dez anos com um programa de reciclagem de resíduos de construções, chamado de Programa Municipal de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (Promger), instituído em 2006. Na época das discussões para criação do programa, o vereador Felipe Braga Côrtes, na época presidente da Comissão de Urbanismo o Obras Públicas, foi o relator do projeto de lei (11.682) e, desde então, tem sido ativo nas ações que buscam garantir o cumprimento da lei.

Em 2007, participou de uma reunião da Comissão de Urbanismo e Obras Públicas que retomou o projeto, discutindo sua efetividade. No mesmo ano, criou o Decreto 852/2007, referente à utilização desses materiais nas obras de pavimentação da cidade.

Em 2011 o vereador fez uma visita à Usipar – Usina de Recicláveis Sólidos Paraná S/A, em Almirante Tamandaré, com o propósito  de mudar a estatística que apontava que somente 10% de todo entulho produzido no Brasil pela construção civil era reaproveitado, número muito inferior aos 90% de reaproveitamento da Europa, por exemplo.

“Nosso papel, enquanto vereadores, é fazer com que as pessoas tomem conhecimento de projetos que beneficiam a coletividade. Estamos estudando uma forma de difundir essa ideia de reciclagem de resíduos e aplicar os bons resultados em prol da população” explicou Felipe. Na época, a USIPAR  tratava mais de oito mil toneladas de resíduos por mês e reaproveitava quase 90% desse montante.

Em 2014, Felipe trouxe o tema novamente a discussão em uma Tribuna Livre ealizada na Câmara Municipal de Curitiba, e que contou com a participação de representantes da Associação das Empresas Paranaenses dos Resíduos Sólidos da Construção Civil (Aemparcc).

Na ocasião, o parlamentar atentou para os prejuízos que estes resíduos podem causar se despejados ilegalmente. “O assunto é pertinente à sustentabilidade. A coleta dos resíduos de obras despejados ilegalmente causa, além de danos ao meio ambiente, custos ao Executivo”, concluiu.

Após inúmeras tratativas com as entidades da construção civil e do poder público municipal, no começo deste ano de 2016, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Paraná (Sinduscon- Pr) e a Associação das Empresas Paranaenses de Reciclagem dos Resíduos da Construção Civil (AEMPARCC), lançou um Manual de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil.

O objetivo é oferecer uma orientação segura aos empreendedores da área, prestadores de serviço da coleta, transporte, tratamento, destinação final e reciclagem de resíduos do segmento.